domingo, 29 de agosto de 2010

Muito mais que pardais!

Texto escrito por mim para a comunidade Adventista do sétimo dia no Orkut.
Texto biblico: Lucas 12: 6 e 7

Não se vendem cinco passarinhos por dois ceitis? E nenhum deles está esquecido diante de Deus.
E até os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Não temais pois; mais valeis vós do que muitos passarinhos.

Mais um mês chega ao fim e mais uma vez, ficamos preocupados com o que nos reserva o novo mês, ficamos imaginando, se o salário dará para saldar todas as nossas despesas.

Ao findar mais um mês, deveriámos nos preocupar em contar as bençãos que foram nos dadas a cada dia por Deus. Quantas vezes Ele nos protegeu da violência que assola o mundo? Quantas não foram as vezes em qua sua mão nos tocou, seja na saude, nos estudos ou mesmo no trabalho? O texto de hoje nos mostra que não devemos andar ansiosos, pois assim como Deus cuida dos pardais, Ele cuida de nós também.

Os pardais eram tão comum no tempo de Jesus que acredito que eram como pragas assim como o são os pombos hoje em dia. Para se verem livres da mercadoria os camelôes da época valiam-se de promoções do tipo: % pardais por 2 Asses (o equivalente a 4 centavos de real hoje). Na realidade o que Jesus quiz deizer aqui foi que Deus se importa até mesmo com o quinto pardal, cuidando de cada um como se fossem únicos. E se Deus cuida dos pardais com tanto desvelo, não cuidaia de nós, seus filhos?

Afinal, foi por mim e por você que Ele enviou seu filho para morrer como sacrifício pelos nossos pecados.

Sim, nestes versos, podemos ver o amor divino pelos seus filhos, pois ele sabe até quantos fios de cabelos cada um tem.

Portanto, neu querido amigo, não andeis ansiosos pensando nos problemas, devemos sim deixar nossos problemas nas mãos de Deus, pois como disse Jesus, cada um de nós temos um valor incalculável para Deus, valor este muito maior que o de cinco pardais.

Que ao findar mais mês, possamos contar as bençãos e ter a certeza de que o mês vindouro será de vitórias se a Deus buscarmos em primeiro lugar.

Maranata!

terça-feira, 17 de agosto de 2010

É permitido dar palmadas!

É duro ter nascido e morar em um país de faz de contas.

É duro que agüentar e engolir tanta besteira protagonizada pela classe política, que infelizmente, é eleita pelo povo.

Foi preciso fazer um projeto para criar uma aberração de lei chamada de “Ficha Limpa” para tentar barrar a candidatura de bandidos que deveriam estar na cadeia.

O cidadão comum, mesmo sem ter a ficha suja vai para a cadeia por qualquer motivo.

Nos países onde a justiça e a lei são menos imparciais, um simples romance extra conjugal derruba altas autoridades dos governos.

Aqui, garotas de programas são contratadas como “acompanhantes de executivos” e frequentam os gabinetes acarpetados do poder.

E tudo pago com o dinheiro do contribuinte.

Agora os idiotas estão falando em criar outra aberração: uma lei para ensinar os pais educarem os seus filhos, proibindo-os de dar uma palmada ou um pequeno beliscão.

E o que é pior, com o respaldo de profissionais da psicologia e psiquiatras, que, na minha opinião são médicos de elite, pobre dificilmente tem acesso a estes profissionais.

Está mais cristalino do que nunca, que pais de verdade não agridem seus filhos por prazer ou por motivos banais.

É sabido que filhos bem educados levaram no máximo umas três ou quatro palmadas quando crianças.

Pergunte aos acima dos cinqüenta anos, como eu, se a maioria não agradece as correiadas, muitas vezes exageradas, dadas pelos nossos pais? Com raríssimas exceções, todos que levaram algumas palmadas na hora certa, se transformaram em cidadãos do bem.

Os tempos são outros, dizem os psicólogos, que na minha juventude eu nem sabia que existiam.

É claro que os tempos são outros, a modernidade veio para confinar nossos filhos na frente de uma tela fria e colorida com cores artificiais.

Mas, se os pais perderem o direito de educar os filhos, quem irá estabelecer os limites para que eles entendam onde começa e termina os seus direitos?

A rua?

O traficante?

As drogas?

A ignorância?

Aí então a geração sem limite vai continuar incendiando pobres nas ruas, e quando se tornarem adultos, enchendo as cadeias?

Temos o estatuto da Criança e do Adolescente que veio para engessar deveres e colocar em colisão, a criança e jovem com seus pais e professores, que amparados pela lei, praticam crimes única e exclusivamente pela certeza da impunidade.

É constrangedor ouvir de uma professora, que quando ela aciona o Conselho Tutelar para um aluno, dificilmente é atendida, mas, quando o aluno aciona para a professora, o atendimento é imediato.

Agora estão querendo aprovar esta lei idiota, para dizer aos nossos filhos, que temos obrigação de tolerar seus desaforos, e que não podemos repreendê-los, como e quando quisermos.

Há três anos, eu tive que pegar o meu filho de 17 anos pelo colarinho da camisa e encostá-lo da parede, para que pudesse entender que três horas da manhã não era o horário ideal para estar na frente de um computador vidrado em um joguinho idiota e que transforma nossos filhos também em idiotas.

De vez em quando, tomando uma cerveja juntos, damos boas gargalhadas quando lembramos este episodio, até hoje ele me agradece por ter se livrado do tal jogo.

Quem irá fiscalizar esta lei?

Condenar um pai ou uma mãe, por dar umas palmadas merecidas por um filho desobediente, chega às raias do absurdo.

E mais uma vez, psicólogos e psiquiatras vem com a balela que uma palmada pode deixar marcas no comportamento psicológico do filho.

Isto é verdade.

Deixa marcas.

De alguém que ama e quer que o filho cresça, sabendo respeitar o direito de todas as pessoas, independente a cor da pele, da idade, ou do saldo na conta bancaria.

Deixa marcas.

De alguém que ama e sabe que muitas vezes a palmada necessária dói mais nele que nos filhos.

Tenho certeza absoluta, que os pais que fizeram todas as vontades dos filhos, tivessem dado também algumas palmadas, milhares de jovens não estariam nos braços das drogas e da violência.

Tenho certeza absoluta, que se todos os pais que espancaram os seus filhos tivessem dado apenas palmadas na hora certa, muitos jovens não estariam abandonados em abrigos ou se drogando, prostituindo e roubando pelas ruas.

Não tenho filhos na idade de levar palmadas, se tiver netos, não pensarei duas vezes quando elas forem necessárias.

Geraldo Eustáquio Ribeiro

Postado por Willian Lira Felício  em http://ew-willianlira.blogspot.com/

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Enfim Férias!!!!

Queridos Amigos!
Estarei de férias a partir de hoje e portanto não estarei tanto tempo OnLine, mas prometo atualizar o Blog uma vez por semana.


Agora para ficarem com um pouquinho de inveja...rsrs
Alegria geral ao chegar as férias...

...malas prontas para viajar...

...pausa para descanso...

...sonhando com a viajem...

...sonhando com um clima bem quentinho, mas...

...a triste realidade é bastante dura!
Mas férias é férias, seja viajando ou em casa...(me engana que eu gosto!) rsrsrs.

Lição dos Primários - Pesado demais para flutuar

GRAÇA
Deus faz por nós o que não somos capazes de fazer sozinhos.
VERSO PARA DECORAR
“Peçam, e lhes será dado; busquem, e encontrarão.” Mateus 7:7, NVI.
REFERÊNCIAS
2 Reis 6:1-7; Profetas e Reis, p. 260, 261.
OBJETIVOS
A criança deverá:
SABER que Deus a ama muito e quer resolver seus problemas – sejam eles grandes
ou pequenos.
SENTIR-SE agradecida porque Deus cuida de todos os seus problemas.
RESPONDER confi ando que Deus resolverá todos os seus problemas.
MENSAGEM CENTRAL
Deus cuida de todos os meus problemas.
RESUMO DA LIÇÃO
A escola dos profetas precisava de instalações maiores. Os alunos se reuniram com Eliseu e examinaram suas necessidades. Ele foi com eles às margens do rio Jordão para cortar troncos de árvores a fi m de construir um novo edifício. Enquanto trabalhavam, o ferro do machado emprestado que um jovem estava usando saiu do cabo, caiu na água e afundou. Ele clamou por ajuda. Eliseu foi ver o lugar onde o ferro caiu. Então, jogou um pau na água e o ferro do machado fl utuou na superfície da água, podendo assim ser recuperado.
1 - ATIVIDADES PREPARATÓRIAS

A. Isso Flutua?

tigela com  

água


• coisas que 
flutuam (papel, plástico, 
pauzinhos, 
isopor, cubos 
de gelo, etc.)

• coisas que 
não flutuam 
(colher, pedra, 
brinquedo, 
etc.)

• Bíblias
Permitir que as crianças experimentem colocar cada uma das coisas na água para  
ver se ela flutua.

Analisando
Que coisas vocês descobriram que flutua? (Aceitar respostas.) Que coisas não flutuam?
(Aceitar respostas.) Por que essas coisas não flutuam? Vocês acham que poderiam fazer qualquer uma delas flutuar? Hoje vamos aprender a respeito de alguma coisa que afundou, mas depois flutuou. Como acham que isso aconteceu? (Aceitar respostas.) Vamos procurar e ler nosso Verso Para Decorar em Mateus 7:7. Ler juntos. Esse verso nos faz lembrar de que:
DEUS CUIDA DE TODOS OS MEUS PROBLEMAS.
2 - LIÇÃO  
BÍBLICA


Vivenciando a História

Com antecedência, colocar o “machado” no fundo da bacia com água. Colocar uma 
pedra ou algum outro objeto pesado sobre ele para que não flutue. Durante a história, 
ao descrever que um pau foi jogado na água, empurrar o peso para um lado de modo 
a fazer o “machado” flutuar.




Se a Atividade Preparatória A foi feita na classe, dizer: Lembram-se de nossa experiência 
no início do programa de hoje, descobrindo coisas que flutuam e outras que 
não flutuam? (Sim.) Repetir a experiência com uma pedrinha e um pauzinho. Nossa história de 
hoje é sobre um machado que flutuou.

Certo dia, alguns rapazes que estudavam em uma escola especial dos profetas ouviram boas
notícias. O profeta Eliseu [homem de Deus] estava vindo visitá-los. Eles poderiam conversar 
com ele e aprender com ele. E podiam contar-lhe que o edifício onde estavam ficando estava se 
tornando muito pequeno. Precisavam de um edifício maior. 
Quando o profeta Eliseu [homem de Deus] chegou, eles conversaram com ele a respeito do 
assunto. Eliseu [homem de Deus] compreendeu, e concordou. Assim, separaram um dia especial 
para ir até as margens do rio Jordão. Ali cortariam troncos de árvores para construir a nova 
escola. Eles pediram que Eliseu [homem de Deus] fosse com eles.

Um dos moços tomou emprestado um machado [Tunc! Tunc!]. Ele também desejava ajudar a construir o novo edifício da escola. Naquele dia, ele alegremente se uniu ao grupo de trabalho junto ao rio. Alguns derrubavam as árvores, outros as transformavam em tábuas. O profeta Eliseu [homem de Deus] trabalhava junto com eles. Enquanto trabalhavam, o profeta falava sobre o amor e cuidado de Deus.
Então, de repente, algo aconteceu. O moço com o machado [Tunc! Tunc!] emprestado, levantou-
o ao ar. Mas, desta vez, o ferro do machado [Tunc! Tunc!] saiu do cabo e voou pelos ares!
Com um “splash!”, afundou na água do rio!
– Ai! meu senhor! – exclamou o moço. – O machado [Tunc! Tunc!] era emprestado! Eu não tenho como pagar por ele.
Seus amigos vieram correndo. Todos ficaram olhando para a água escura. Eliseu [homem de Deus] se apressou até a beira do rio. Mas ele também não conseguia ver o machado [Tunc! Tunc!] perdido na água.
– Onde caiu? – perguntou Eliseu [homem de Deus]. Tudo que o moço podia fazer era apontar para o lugar onde o machado [Tunc! Tunc!] caíra. Eliseu [homem de Deus] sorriu, voltou-se e olhou para as árvores ao redor. Encontrando um galho que parecia adequado, cortou um pedaço dele. Voltou até a beira do rio e jogou aquele pau onde o moço apontara.
O pau caiu na água com um suave “splash”. Então, bem devagar, o pau e o ferro do machado [Tunc! Tunc!] subiram até a superfície da água. [Fazer o “machado” na bacia de água flutuar.] Todos suspiraram aliviados. Mas quem deu o maior suspiro foi o rapaz que perdera o machado [Tunc! Tunc!], pois poucos minutos antes se sentia fracassado. Através de Eliseu [homem de Deus], Deus aproveitou aquele incidente para realizar um milagre. Ele fez com que aquele dia comum se tornasse um dia inesquecível.
No fim do dia, todos os rapazes voltaram cansados para a escola, mas entusiasmados. Conversaram com Eliseu [homem de Deus] sobre o que acontecera. Tinham mais certeza do que nunca de que Deus os amava e cuidava deles. Agora compreendiam que não existe problema grande demais nem pequeno demais para colocarmos nas mãos de Deus.
Analisando
De que parte da história de hoje vocês mais gostaram? (Aceitar respostas.) Quando vocês tiverem um problema, grande ou pequeno, o que vão fazer em primeiro lugar? (Pedir a ajuda de Jesus.) Por quê? (Porque Ele realmente Se interessa em ajudar-nos e fará o que achar melhor para nós.) Vamos dizer juntos nossa mensagem:
DEUS CUIDA DE TODOS OS MEUS PROBLEMAS.
Verso Para Decorar
Com antecedência, preparar 10 cópias do machado e escrever uma palavra do Verso Para Decorar (incluindo o texto) em cada um deles. Escolher crianças para virem pegar um machado cada uma e se colocarem na ordem certa para todos lerem juntos o Verso Para Decorar. Repetir juntos várias vezes. Cada vez que repetir, remover um machado e deixar o espaço em branco. Pedir então que repitam. Até remover
todos os machados, as crianças terão decorado o verso.
Estudo da Bíblia
Com antecedência, fazer cópias da árvore e escrever os seguintes textos:
2 Reis 6:1-6 (machado que flutuou)
Êxodo 16:2-4 (maná)
2 Reis 5:13, 14 (Naamã)
Êxodo 17;1, 5, 6 (água da rocha)
1 Samuel 1:20 (Ana)
Marcos 5:22, 23, 35, 41, 42 (filha de Jairo)
 Dar um recorte de árvore a cada criança que seja capaz de achar na Bíblia e ler em voz alta. (Adultos
podem ajudar se necessário.) Pedir que a classe diga qual é o problema em cada um dos textos lidos.
Analisando
Todos os problemas apresentados são iguais? (Não, mas todos eram grandes demais para uma pessoa
resolver.) Qual foi o primeiro passo na solução de cada um dos problemas? (Pedir ajuda a Deus ou
a Jesus.) Quando vocês tiverem problemas, o que vão fazer? (Pedir que Deus ajude, porque...)

DEUS CUIDA DE TODOS OS MEUS PROBLEMAS.
3 - APLICAÇÃO DA LIÇÃO
Para o Alto e Para Longe!
Dar para cada criança um pedaço pequeno de papel. Pedir que escrevam sobre algum problema que ela ou a família estejam enfrentando. O ferro do machado emprestado que causou problema para o rapaz, flutuou na água depois que ele pediu a ajuda de Eliseu. Deus cuidou do problema dele. Deus também cuida dos problemas de vocês. Vamos entregar os problemas de vocês a Deus. Pedir que as crianças dobrem os papéis com os pedidos e coloquem dentro do balão. Encher o balão, amarrar a boca e prender o fio de náilon e pendurá-lo no teto. Como entregamos nossos problemas a Deus na vida real? (Por meio da oração.) Então, vamos agora orar pelos problemas de vocês. Orar pelos problemas que estão escritos no balão que flutua no ar. Ler Filipenses 4:6.
Analisando
A Bíblia nos diz o que acontece quando entregamos nossos problemas a Deus. Vamos ler em Filipenses 4:7. (Encontrar na Bíblia e ler juntos.) Na próxima vez que vocês tiverem algum problema – grande ou pequeno – o que vão fazer primeiro? (Entregar o problema a Deus através da oração.) Por quê? Vamos responder com a mensagem de hoje:
DEUS CUIDA DE TODOS OS MEUS PROBLEMAS.
4 - PARTILHANDO A LIÇÃO

Ele Pode!
Com antecedência, fazer cópias da gravura de Jesus para cada criança. Distribuir 

o material, pedir que as crianças pintem a gravura e escrevam no verso 
o texto bíblico que se encontra em 1 Pedro 5:7 (NTLH): “Entreguem todas as
suas preocupações a Deus, pois Ele cuida de vocês.” Elas devem levar para 
casa e dar a alguém durante a nova semana enquanto lhe explica o verso.
Analisando
A Bíblia diz que devemos lançar ou entregar nossos problemas a Deus porque só Ele pode 
nos ajudar. Vamos ler 1 Pedro 5:7. (Ler juntos.) Quanto de nossas ansiedades ou problemas 
Deus pede que lancemos sobre Ele? (Todas.) Nada é grande ou pequeno demais para entregar-
Lhe ou lançar sobre Ele. Quando vocês derem o cartão a alguém durante a semana, partilhem 
com essa pessoa o que lemos em 1 Pedro 5:7. A quem vocês vão contar sobre isso durante a 
semana? (Pedir que as crianças partilhem com você seus planos para a semana.) Vamos dizer 
nossa mensagem novamente:
DEUS CUIDA DE TODOS OS MEUS PROBLEMAS.
5 - ENCERRAMENTO
Cantar “Meu Deus é Tão Grande” (ver p. 111, CD faixa 2). Convidar as crianças a entregarem
seus problemas a Deus todos os dias.
6 - ANEXOS








quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Lição dos Primários - Naamã e o Rio Barrento


GRAÇA
Deus faz por nós o que não somos capazes de fazer sozinhos.
VERSO PARA DECORAR
“Todos nós temos recebido da Sua plenitude, graça sobre graça.”
João 1:16, NVI.
REFERÊNCIAS
2 Reis 5:1-16; Profetas e Reis, p. 244-250.
OBJETIVOS
A criança deverá:
SABER que a dádiva da graça de Deus é para todas as pessoas.
SENTIR alegria pela superabundante graça de Deus.
RESPONDER pessoalmente à graça de Deus e desejar partilhá-la com outros.
MENSAGEM CENTRAL
A graça de Deus é para todos.

RESUMO DA LIÇÃONaamã, capitão do exército do rei da Síria tinha lepra. Uma menina israelita cativa trabalhava para sua esposa. A menina sugeriu que Naamã pedisse ao profeta Eliseu para curá-lo. O rei da Síria concordou e Naamã foi a Israel. Eliseu enviou um servo para dizer a Naamã que mergulhasse sete vezes no rio Jordão para ser curado. Naamã relutou, mas foi fi nalmente convencido por seus servos. Ele seguiu a orientação de Eliseu, foi curado, reconhece que o Deus de Eliseu era o verdadeiro Deus e prometeu não adorar nenhum outro deus.
Esta lição fala sobre graça. Deus ofereceu cura a Naamã, que havia sido um inimigo de Seu povo. Quando Naamã fi nalmente concordou em experimentar o método de Deus, recebeu tanto cura física como espiritual. Deus oferece a mesma graça a qualquer pessoa que a aceite.
1 - ATIVIDADES PREPARATÓRIAS
Caixas Misteriosas

Com antecedência, preparar duas caixas, tendo na tampa um buraco grande o suficiente para caber a mão de uma criança. Em uma das caixas colocar objetos bem conhecidos como chave, escova, pente, lápis, etc. Na outra caixa colocar objetos mais desconhecidos como bússola, peça de ferragem ou uma ferramenta raramente usada ou vista. (Colocar nas caixas uma quantidade suficiente de objetos para dar oportunidade a todas as crianças de pegar alguma coisa das caixas.) Em classes muito grandes, preparar um jogo de caixas para cada grupo de seis a oito crianças. Usar primeiramente os objetos bem conhecidos e depois os mais desconhecidos.
Deixar que uma criança de cada vez coloque a mão dentro de uma das caixas e tente identificar o objeto pelo tato, tirando-o depois da caixa para conferir se estava certa. (Devem então deixar o objeto fora da caixa.)
Analisando
Como vocês se sentiram não conseguindo identificar os objetos pelo tato na segunda caixa? (Não ficamos surpresos; fizemos nosso melhor, etc.) Vocês gostaram de sentir pelo tato e saber o que eram os objetos? (Sim.) Nossa história bíblica de hoje é sobre um homem que tinha uma doença que destruiu sua sensibilidade do tato, a capacidade de apalpar e reconhecer as coisas. Essa história nos mostra que a mensagem de hoje é verdadeira. Vamos dizê-la juntos:
A GRAÇA DE DEUS É PARA TODOS.
2 - LIÇÃO BÍBLICA
Vivenciando a Lição

Permitir que, no momento certo, as crianças coloquem os círculos adesivos nos braços e mãos. Informá-las também quanto ao momento de remover os adesivos para representar a cura divina da lepra de Naamã.
Naamã era o comandante do exército da Síria. Ele era famoso por suas lutas. Era amigo íntimo do rei. Certo dia, esse guerreiro ficou muito doente. Sua pele começou a ficar seca. Tornou-se esbranquiçada e começou a descamar. Ele começou a perder a sensibilidade do tato. Não sentia mais o contato com as coisas. Naamã tinha lepra, uma doença que nenhum médico podia curar. (As crianças devem colocar os adesivos nos braços e mãos.) Uma garota israelita trabalhava para a esposa de Naamã. Era uma cativa trazida de um dos
ataques repentinos contra Israel. A garota agora vivia longe de seu lar, entre os inimigos. Mas ela não se esquecera das grandes coisas que Deus tinha feito por Israel.
– Por que seu marido não pede que o profeta de Israel o cure? – disse ela à esposa de Naamã.
– Eliseu pode curar a lepra.
Naamã havia consultado todos os médicos da Síria; havia experimentado todo tipo de remédio. Nada adiantara. Eliseu era sua última esperança. Naamã seguiu para Israel com diversas companhias de soldados sírios. Levavam carruagens lotadas de tesouros para pagar pelo milagre da cura. Que cena estranha deve ter sido aquela!
Eliseu não deu a Naamã nenhum remédio. (Mostrar o frasco vazio de remédio e acenar negativamente com a cabeça.) Não queimou incenso nem fez magias secretas. Ele enviou seu servo para dizer a Naamã que fosse tomar um banho – não em qualquer lugar, mas no rio Jordão que corria ali perto. Naamã ficou frustrado. Eliseu nem falara com ele! Ele esperava que o Deus de Israel fizesse algo grandioso. Mas tudo que o profeta mandara dizer era que fosse tomar um banho naquele rio barrento! Não uma vez, mas sete vezes! Ele estava pronto para ir para casa. Os rios perto de sua casa corriam muito mais depressa e eram mais limpos. O rio Jordão era barrento e não muito mais largo do que uma casa! Felizmente, um dos servos de Naamã o fez parar.
– Se Eliseu lhe pedisse que fizesse alguma coisa mais difícil, o senhor não teria feito? – perguntou o servo.
Naturalmente que sim, pensou Naamã. Já havia conquistado países inteiros. Nada era difícil demais que ele não pudesse fazer. Exceto curar a si mesmo.
– Então, por que acha difícil fazer algo tão insignificante? – continuou o servo.
Naamã decidiu fazer o que o profeta de Deus dissera. Ele se dirigiu para o rio Jordão. Seis vezes ele mergulhou na água. Nada aconteceu. Ao levantar-se da água pela sétima vez, algo havia mudado. Sua pele sem cor e seca se fora! Agora tinha a pele macia e saudável de um jovem! (Pedir que as crianças removam os adesivos dos braços e mãos.) Não fora mudado apenas por fora; Naamã fora mudado também interiormente.
– Sei que o Deus de Israel é o único Deus verdadeiro – disse ele.
Unicamente o amor de Deus pôde fazer com que uma menina cativa, uma serva, fosse bondosa com seus captores. Somente o poder de Deus pôde realizar milagres através do profeta Eliseu. Apenas a graça de Deus pôde curar um guerreiro estrangeiro de seu pecado e de sua doença. Deus deseja conceder Seus dons da graça a todas as pessoas.
Analisando
Quais são algumas coisas que auxiliam na cura de nossas doenças? (Remédios, injeções, cirurgia, ir ao médico, etc.) Mostrar as gravuras ao mencionar esses diferentes procedimentos. Deus é o melhor médico de todos. Ele gosta de curar. Ele pede que as pessoas cooperem com Ele enquanto realiza a cura. Como Naamã cooperou com Deus? (Humilhando-se e indo mergulhar no rio Jordão.) Em quem Naamã aprendeu a confiar? (No melhor médico de todos – o Deus de Eliseu.) Que demonstração a respeito de Deus vemos no fato de Ele curar um capitão inimigo do Seu povo? Vamos responder dizendo nossa mensagem:
A GRAÇA DE DEUS É PARA TODOS.
Verso Para Decorar

Com antecedência, preparar pequenos pedaços de papel com uma palavra do Verso Para Decorar em cada um deles (ver João 1:16). Numerar os pedaços de papel na sequência correta das palavras no verso. Amassar bem cada pedaço de papel formandouma bolinha. Colocar as bolinhas no frasco vazio de remédio para representar comprimidos. Uma criança pode abrir o frasco e despejar fora os “comprimidos”. Crianças
voluntárias podem abrir um “comprimido” cada uma e ler a palavra escrita nele. Com o auxílio dos números, as crianças podem trabalhar juntas para colocar as palavras na ordem correta, formando o Verso Para Decorar. Todas devem então dizer o verso juntas. Repetir algumas vezes até que elas consigam memorizar o Verso Para Decorar.
Estudo da Bíblia
Com antecedência, escrever em cada pedaço de papel um nome e os versos que o acompanham conforme a lista abaixo. Escolher seis crianças para lerem a história de Naamã em suas Bíblias (2 Reis 5:1-16) para o restante da classe. Designar a cada uma dessas crianças um dos personagens da lista, dando-lhe os versos nos quais ela lerá o que aquele personagem fala ou faz. (As crianças lerão alternadamente na sequência dos versos, à semelhança de um jogral.) Os adultos auxiliares da classe podem ajudar na leitura se necessário.
Personagens
Naamã (versos 1, 4, segunda parte do verso 5, 6, 9, 11, 12, 14 e 15)
Menina cativa (versos 2 e 3)
Rei da Síria (primeira parte do verso 5)
Eliseu (versos 8, 10 e 16)
Servos de Naamã (verso 13)
Analisando
Qual é a parte que vocês mais gostam nessa história? (Aceitar respostas.) Vocês aprenderam alguma coisa nova ao ouvirem a versão bíblica da história? (Aceitar respostas.) De que vocês se lembrarão ao virem pessoas diferentes de vocês? Vamos responder dizendo nossa mensagem para hoje:
A GRAÇA DE DEUS É PARA TODOS.
3 - APLICAÇÃO DA LIÇÃO
Especialmente Para Você!

Personalizar um dos versos bíblicos abaixo para cada aluno da sua classe, inserindo no verso o nome da criança. (Por exemplo: “A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com [nome].”) Escrever os textos com os nomes em pedaços de papel e colocar em um recipiente (cesta ou tigela). Pode procurar e utilizar outros versos sobre “graça”. As crianças se revezarão pegando um papel e lendo o verso para aquela cujo nome está inserido ali. Certificar-se de preparar papéis a mais com linha em branco no texto para incluir nomes de visitantes.
Gênesis 43:29, última parte

Salmo 90:17
Provérbios 3:34
Atos 4:33, última parte
Romanos 1:7, última parte
Gálatas 6:18
1 Timóteo 1:14
Analisando
O que acharam de ouvir o nome de vocês incluído em um verso bíblico? (Isso torna a Bíblia real e pessoal, etc.) Quando forem tentados a pensar que vocês ou seu grupo de amigos são melhores do que outras pessoas, de que se lembrarão? Vamos dizer juntos a mensagem de hoje:
A GRAÇA DE DEUS É PARA TODOS.
4 - PARTILHANDO A LIÇÃO
Especialmente Para Eles
Usando pedaços de cartolina de 5 cm x10 cm, pedir que as crianças preparem um cartão com um verso bíblico personalizado para uma pessoa que escolherem. (Ver exemplo na seção anterior, Aplicação da Lição). As crianças devem planejar entregar pessoalmente o cartão a essa pessoa durante a próxima semana.
Analisando
Quem de vocês tem alguma pessoa em mente com quem gostariam de partilhar um verso bíblico personalizado? (Aceitar respostas.) Por que acham que será bom dar a alguém um verso bíblico incluindo o nome da pessoa? (Essa pessoa saberá que a graça de Deus é para ela pessoalmente.) Vamos dizer juntos nossa mensagem mais uma vez:
A GRAÇA DE DEUS É PARA TODOS.
5 - ENCERRAMENTO
Cantar “Meu Deus é Tão grande” (ver p. 111, CD faixa 2). Pedir que uma criança ore, agradecendo a Deus porque Sua graça é para todos. Todos podem ser amigos de Jesus.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Como aprender de Deus

Texto Bíblico: Filipenses 4:


10 - Ora, muito me regozijei no Senhor por finalmente reviver a vossa lembrança de mim; pois já vos tínheis lembrado, mas não tínheis tido oportunidade.

11 - Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho.

12 - Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade.

Como é bom ler a Bíblia, sempre que lemos encontramos mensagens maravilhosas que muitas vezes passa despercebidas em outra leitura.

Outro dia em um culto no lar promovido pelo Ministério da Mulher, o pastor nos apresentou este texto de Filipenses, o mais engraçado é que este capitulo é o meu preferido por falar da verdadeira alegria. Quantas vezes eu li este capitulo mas nunca tinha visto esta parte do texto, principalmente a parte final do verso 11 e 12.

Mas o que me intriga neste dois versos, é o fato de Paulo afirmar, aprendi a contentar-me ou em outras versões a alegrar-me. E fico me perguntando: Estou me alegrando em toda e qualquer situação?

Infelizmente, minha resposta é negativa, quantas e quantas vezes me vi reclamamdo de problemas e situações que depois de resolvidas, pude constatar que minha atitude naquele momento foi completamente equivocada.

Pelo texto que lemos, Paulo aprendeu a contentar-se em situações que muitas vezes a gente nem chega a sofrer, como fome por exemplo, podemos ter falta de alguma coisa em nossa alimentação, mas quantos aqui realmente já sentiu fome em todo o sentido da palavra? Acredito que para que ele pudesse escrever sobre isto, ele tenha realmente passado por situações que nem mesmo consigamos compreender.

Mas como aprender a se contentar em meio a adversidade? Como se alegrar quando seu relacionamento familiar está de mal a pior? Como se alegrar quando se tem familia e não se consegue um emprego? Como se alegrar quando seus sonhos de estudos precisam ser adiados?

Realmente é muito dificil se alegrar em meio à tristeza, a vontade que temos é de reclamar de tudo, mas para chegarmos ao do apostolo e podermos dizer como ele que somo alegres com tudo com o que possuimos, precisamos como ele ter um relacionamento muito maior com nosso Deus do que temos hoje.

Quantas vezes a correria do dia a dia nos priva deste privilégio! Quantas vezes não deixamos para depois a nossa comunhão matinal porque não podemos chegar atrasado no trabalho ou na escola, mas quantas vezes chegamos atrasados nos cultos da igreja, Que relacionamento é este que só quer o Venha a nós o Vosso reino?

Muitas vezes, temos deixados de ser abençoados devido à nossa própria negligência, Todas as coisas são mais importante do estar como Maria aos pés de Jesus. Mateus 6: 33 deveria ser mais constante em nosso viver a cada dia.

Realmente, precisamos muito adquirir da experiência de Paulo que aprendeu que para ter um relacionamento perfeito com o Senhor devemos buscá-lo em primeiro lugar logo de manhãzinha e assim poderemos, quem sabe, chegar a dizer como ele...Aprendi a me alegrar com o que tenho e tudo posso naqu’Ele que me fortalace. Fil. 4: 11 up e 13.

ESCOLA SABATINA 12º SÁBADO MINISTÉRIO DA CRIANÇA

PROGRAMA SUGESTIVO PARA O 12º SÁBADO. PROGRMA SUGERIDO PELA PROFESSORA VERINHA MATIAS DA IASD PARQUE IDEAL - TERESINA/PI - MISSÃO PIAUIENSE...

Mais Populares